3 Conto da Vampira: Novembro 2016

terça-feira, 29 de novembro de 2016

ludíbrio


autora: Luciana Aparecida Schlei


O sono destemente,
um profundo sonhar
auxilia por um profundo hibernar.,
nas nuvens da alma lúdica
a libertação da agonia
o despertar do elixir transalpino de um allure.
que deixa calma a bela dama
que morre ao encontrar,
o desprezo da negra sombra
daquele que a fez chorar.
em seu corpo o véu que se rasga,
em pedaços suas pétalas a desgrenhar.
a lágrima acarina a deslizar,
a sua boca enveludada ao silêncio ,
almejando cantar ,
a voz das sereias a somatizar.
As velas apagam-se com o sopro do cavalheiro,
aproxima -se sem exitar ,
com a alma embriagada tocando o rosto,
impedindo o sono  ,e a paz
um delirio sem luz
uma prata sem brilho
o descanso de uma flaminia
a sua luz a apagar.